Últimas

Votar ainda é a melhor opção para fazer o Brasil feliz de novo

Pessimismo e desinteresse não vão resolver

Segundo pesquisa do Ibope, 61% do eleitorado disse não ter ‘nenhum interesse’ ou ‘pouco interesse’ no pleito deste ano.

Isso acontece porque os eleitores estão pessimistas com a política e seus representantes, anestesiados mesmo diante de tantos desmandos vindos de quem é escolhido – e pago – para nos representar. Infelizmente, entregar os pontos e desistir do assunto não é uma alternativa se a ideia é de fato melhorar o Brasil. Veja abaixo por que:

1. Dizer que os políticos são todos corruptos só ajuda os… corruptos!

O dramaturgo alemão Bertold Brecht certa vez afirmou “continuemos a nos omitir da política. É tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem”. Isso acontece porque quanto mais pessoas acharem normal a corrupção, mais à vontade se sentirão os corruptos para fazerem você sabe o que.

Mas o medo de ser pego e, quem sabe até pior – não ser mais eleito – pode ser um poderoso incentivo para coibir a desonestidade entre políticos de caráter, digamos, mais flexível.

 

2. Respostas simples para problemas complexos geralmente pioram esses problemas

É normal sentir cansaço quando nos deparamos com algumas questões que afligem a sociedade, especialmente problemas que não parecem ter soluções simples, como o da violência, para citar apenas um exemplo. Nessas horas, é comum escutarmos alguém vir com uma saída rápida para lidar com a situação.

O problema é que essas soluções, na maioria das vezes, piorariam a questão em vez de melhorá-la, já que desprezam o conhecimento que é resultado de anos de dedicação de pesquisadores e especialistas.

Exigir que questões importantes sejam tratadas com a seriedade e o embasamento técnico que elas pedem é marca das sociedades mais desenvolvidas. E isso só acontece quando os políticos que tomam estas decisões se sentem cobrados por seus eleitores a tomarem a decisão mais acertada, que raramente é a mais simplista.

 

3. Como superar o desânimo?

Ok, se você chegou até aqui, sabe que o melhor jeito de contribuir é se envolver com a política, acompanhando e cobrando quem deve. Mas como fazer isso na prática, superando a apatia que ataca até o mais dedicado dos animais políticos de tempos em tempos?

Bem, não é fácil, mas talvez possa não ser também tão difícil assim. O primeiro passo para tornar a política mais palatável é entender como ela funciona, a mecânica das escolhas partidárias, como são organizados os poderes, as limitações e obrigações de cada esfera de poder, etc.

Saber o que é função de quem é fundamental para compreender questões que parecem nebulosas e, de quebra, pode ajudar a melhorar o país.

 

LEIA TAMBÉM