Últimas

UNICEF e Abrinq alertam para os cortes na infância

Com a volta de doenças e cortes em programas sociais, a mortalidade infantil no governo ilegítimo deve voltar a subir

A redução da mortalidade infantil é mais uma conquista brasileira que o governo ilegítimo de Temer/PSDB destruiu. Nos governos do PT, a taxa foi 45% menor, passando de 26,04 antes de Lula para 13,8 para cada mil nascidos vivos em 2015.

Desde 2000, a taxa de mortalidade infantil esteve em queda. A situação não deve se manter no governo golpista.

Ao que tudo indica, a situação com Temer não deve se manter


Erradicado em 2015, o sarampo volta com a corda toda no governo ilegítimo.

 

Estudos apontam que os cortes em benefícios sociais e programas de saúde e vacinação devem aumentar a taxa de mortalidade infantil pelos próximos anos. Todas as vacinas indicadas a menores de um ano tiveram índices abaixo da meta em 2016. Esse “descuido” do governo ilegítimo ocasionou o retorno do sarampo e ameaça que outras doenças, como a rubéola, estejam em breve de volta no pedaço.

 

De olho nos pequenos, instituições de presença internacional alertam para o risco do descuido com a primeira infância

A Unicef divulgou uma pauta de desafios e ações para os candidatos à presidência conseguirem manter e ampliar a prioridade à criança que os governos do PT deram nos últimos anos.

Instituições de renome no cuidado da criança alertam para o risco de cortes no orçamento da primeira infância.

 

Já a Fundação Abrinq alertou para os perigos que os cortes da atual gestão de Temer/PSDB podem causar. Mais doenças, mais crianças fora da creche e menos condições de vida. Seria uma pena se uma PEC congelasse os investimentos do governo por vinte anos, não é?

É por isso que o PT e Haddad vão revogar a PEC do Fim do Mundo.

LEIA TAMBÉM