Propostas

Gás a Preço Justo: para ninguém ter que cozinhar no fogão a lenha

Garantir preço estável e acessível para o produto é uma meta do Plano de Governo de Haddad - que tem também a assinatura do Lula

Segundo o IBGE, 1,2 milhão de famílias, em 2017, não conseguiram pagar pelo botijão de gás e, por total falta de alternativa, tiveram que apelar para a lenha para cozinhar. Essa é a cara do Brasil pós-golpe.

Nada a ver com o Brasil de Lula. Que saudade daquele tempo!

Isso aconteceu porque Temer e seus amigos do PSDB alteraram a política de preços do gás de cozinha, que passou a acompanhar mais de perto as cotações internacionais do produto, desconectando-se da realidade local.

Para se ter uma ideia, no governo Lula, não houve aumento do preço do gás de cozinha. Por outro lado, de julho de 2017 a dezembro do mesmo ano, houve um salto de 37% no valor.

 

Por isso, Haddad – escolhido pelo ex-presidente para fazer o Brasil feliz de novo – vai criar o programa Gás a Preço Justo.

 

Ele quer mudar essa situação e se comprometeu a garantir preço estável e acessível para o produto, o que é fundamental para que todos possam cozinhar e comer com dignidade e segurança.

LEIA TAMBÉM