Últimas

13 provas de que Haddad foi um prefeito visionário

Humanidade, inovação e transparência: esse é o legado que o 'prefeitop' deixou para a maior cidade da América Latina.

Todo mundo já sabe que Haddad foi o melhor Ministro da Educação do Brasil, fazendo mais pela inclusão em 7 anos do que foi feito nos últimos 100. Agora, a gente vai contar como Haddad fez uma gestão humana, moderna e ousada quando foi prefeito de São Paulo. Por esse governo, Haddad foi considerado um visionário por jornais como The Wall Street JournalThe New York Times.

Haddad assumiu a prefeitura em 2012, entregou a cidade em 2016 com as contas no azul, grau de investimento apontado pela agência Fitch Ratings, e reduziu a dívida da cidade em 62%.

Em um contexto de antipetismo crescente, muitas medidas de Haddad não foram tão divulgadas para a população. Boa parte delas nem foi continuada pela gestão seguinte, por simples revanchismo ou falta de sensibilidade. Mas a gente te conta como o Haddad prefeito foi tão bom para o povo como o Haddad ministro.

 

1. Haddad governou em uma prefeitura que ouvia antes de fazer

Para atender às reivindicações da população, foi fundamental o fortalecimento das ouvidorias de São Paulo. Só na saúde, foram criados 900 pontos para colher as demandas da população.

 

 

2. Haddad combateu o assédio sexual nas instituições

No dia 8 de março de 2016, Haddad corrigiu um gargalo na legislação de São Paulo: até então, não havia legislação que protegesse as servidoras públicas contra o assédio sexual. A Lei 16.488 é um mecanismo contra o assédio sexual, por chantagem ou intimidação. Com ele, as servidoras públicas de todas as entidades puderam trabalhar com muito mais segurança.

 

 

3. Haddad venceu esquemas de corrupção em São Paulo

Sua gestão entrou para a história com a criação da Controladoria Geral do Município, órgão dedicado a investigar e combater esquemas de corrupção na cidade. Na época, muita gente torceu o nariz, achando que era puro desperdício de dinheiro, mas a CGM, como ficou conhecida, desenvolveu mecanismos de controle e de transparência que investigaram os processos com muito mais segurança. O resultado: no primeiro ano de funcionamento, a CGM deu fim à “máfia do ISS“, esquema de corrupção que desviou mais de R$ 500 milhões na gestão anterior.

 

 

4. Na Educação, o que já era revolucionário com Haddad ministro ficou ainda melhor com Haddad prefeito

Noventa e seis mil e quinhentos é um número tão bonito que deve ser escrito por extenso. E foi esse o número de vagas que Haddad criou na Educação Infantil de São Paulo, batendo recorde de expansão de vagas. Mais de 400 creches foram criadas na gestão Haddad. O ensino superior também virou competência da prefeitura, com a criação das UniCEUs, que levaram vagas gratuitas na universidade para as periferias da cidade. A tarefa não foi fácil, mas ele também conseguiu convencer as pessoas do fim da aprovação automática e do investimento de 1/3 de todo o dinheiro do município em Educação.

 

 

5. Além de ser viciado em povo, Haddad também não perde uma chance de estudar

Bacharel em Direito. mestre em Economia. doutor em Filosofia, Haddad pode ajudar sempre quando se precisa de um cientista político ou de um advogado, por exemplo. Nosso próximo presidente não passa um dia sem se especializar em como melhorar o Brasil. Não basta ter o melhor projeto de país, tem que conhecer os melhores meios para executá-lo.

 

 

6. Haddad abriu os braços para que São Paulo fosse uma cidade de todas e todos

O “prefeitop” foi responsável por criar programas corajosos como o De Braços Abertos, que dava tratamento humanizado a dependentes do crack. Com esse projeto, 2 em cada 3 usuários atendidos reduziram o consumo de drogas e passaram a ter casa, formação, trabalho e cidadania. O programa, elogiado por especialistas em todo o mundo, foi descontinuado por aqueles que não querem ver os dependentes químicos reintegrados à sociedade.

 

 

7. Menos propaganda, mais ação

Para fazer tanto pela população, o dinheiro precisa sair de algum lugar. Foi por isso que a prefeitura fez cortes no orçamento que menos beneficiava a população: o marketing. Quando entregou a prefeitura, em 2016, essas mudanças na publicidade economizaram mais de 100 milhões de reais, em comparação com os últimos anos das gestões anteriores. Isso é comunicação com responsabilidade e sem pesar nos cofres públicos!

 

 

8. Haddad viu a luz no fim do túnel da segurança pública

Não é só na bala que se combate o crime. Haddad apostou em medidas de infraestrutura para fortalecer não só o combate, mas também a prevenção da violência. Uma das mais importantes ações foi a implementação de 300 mil pontos de iluminação a LED na cidade. Os novos postes eram baratos, fáceis de implementar e iluminaram o caminho de muita gente. Dá uma olhada nessa reportagem do G1 pra ver o que os moradores de São Paulo têm a dizer sobre a eficiência do LED!

 

 

9. Haddad tem prêmio que não cabe mais no lattes

A prefeitura de Haddad ganhou 5 milhões de dólares para investir em agricultura familiar. Aliás, tá aí algo que esse homem sabe fazer: ganhar prêmio. Um instituto ligado à ONU condecorou a iniciativa de redução de velocidade nas marginais. A ONU também premiou o Plano Diretor Estratégico da cidade. Em 2015, a implantação de políticas de mobilidade também foi agraciada pelo Comitê de Prêmios de Transporte Sustentáveis. Prefeitura campeã!

 

 

10. Haddad arregaçou as mangas e deu condições para as pessoas não precisarem de carro

Antes de Haddad, as ruas de São Paulo davam espaço para carros com uma pessoa passarem na frente de um ônibus com 50. Haddad nunca acreditou nessa visão e, por isso, implementou políticas que mudassem o paradigma da preferência do carro. Chegar primeiro, mais rápido e com mais conforto passou a ser a prioridade máxima. Depois da implantação de 423 km de faixas exclusivas para ônibus e 334 km de novas ciclofaixas, quem vai de carro divide espaço em pé de igualdade com o pedestre, o ciclista e a turma do busão. Até o New York Times reconheceu que Haddad fez um tratamento de choque em São Paulo, desafiando a supremacia do automóvel.

 

 

11. Haddad salvou milhares de vidas com um simples cálculo matemático

A Organização Mundial da Saúde recomendou e Haddad acatou: a redução da velocidade máxima nas vias organizou o trânsito, aumentou a fluidez e salvou vidas. Em média, 60 leitos hospitalares foram liberados, por dia, com a redução. A mudança da velocidade máxima diminuiu os riscos de morte e garantiu a redução de 38,5% dos acidentes.

 

 

12. Mais moderno e ousado que Haddad?

Paris e Nova York são algumas das cidades que “curtiram e compartilharam” o modelo de gestão de Haddad. A Prefeitura de São Paulo atingiu um outro patamar, com outros paradigmas e outra cabeça. A prefeitura de São Paulo entrou na rota da inovação e da responsabilidade. Essa é a moral de quem toma café da manhã com o Noam Chomsky.

 

 

13. O Ministério Público não cansa de atestar: corrupção com Haddad, não!

Primeiro, acusaram Haddad de enriquecimento ilícito e ele ganhou. Depois, inventaram uma “indústria da multa” que não existe, e o Ministério Público confirmou a inocência de Haddad. Daí, disseram que ele superfaturou ciclovias, o que nunca aconteceu. Na falta do que fazer, tentaram acusá-lo até de discutir com um radialista, o que não faz nenhum sentido. Pela responsabilidade e pela gestão exemplar, Haddad segue apostando e ganhando contra quem quer manchar a sua honra.

LEIA TAMBÉM