Últimas

Haddad apresenta o Plano de Governo do PT no site Catraca Livre

Na entrevista, Haddad defendeu o ensino superior gratuito, além de apresentar propostas do Plano Lula de Governo - especialmente para a juventude e as mulheres - nas áreas de educação, emprego, segurança pública, Internet, democratização da mídia, entre outras

O ensino superior público tem que ser gratuito. Esse foi um dos destaques da entrevista que Haddad concedeu na tarde desta segunda-feira (13), ao site Catraca Livre. A declaração foi dada em contraponto às propostas de outros candidatos de cobrar mensalidades dos estudantes nas universidades públicas.

A entrevista, em clima de bate-papo, contou com a presença do jornalista Gilberto Dimenstein, do escritor Marcelo Rubens Paiva, da ativista dos direitos humanos Djamila Taís Ribeiro dos Santos, e de Alexandre Youssef, Diretor da Casa do Baixo Augusta.

Na conversa, o candidato a vice cravou: o PT estará no segundo turno da eleição presidencial.

Haddad destacou propostas do Plano de Governo nas áreas de educação, emprego, segurança pública, Internet, mídia, entre outras. E disse, com todas as letras, que a Emenda Constitucional da Morte (EC 95/2016, do teto de gastos), precisa ser revogada e enterrada:

 

“Já imaginou congelar por 20 anos os gastos públicos?

O Estado vai diminuir durante duas décadas se esse teto fiscal for mantido!”.

 

Ex-ministro da Educação de Lula e Dilma e prefeito de São Paulo de 2013 a 2016, ele garante que “é possível compatibilizar uma retomada do investimento público com responsabilidade fiscal”.

E alertou: “o teto fiscal proposto é inexequível. Vamos começar a suspender serviços em série”.

Haddad ressaltou que a proposta é tão fora da casinha “que só o Brasil aprovou no mundo” e que “nem a Grécia aprovou isso no auge da crise”. Segundo ele, “até o FMI ficou um pouco perplexo com essa medida”.

 

Assista aqui à integra da entrevista.

E confira abaixo uma lista com os melhores momentos:

 

Sobre Lula candidato:

“Não podemos abrir mão da candidatura de Lula na situação colocada. Não posso admitir que nós naturalizemos essa situação”.

 

Sobre a cobrança de mensalidades na universidade pública

“É uma cláusula constitucional. Você não pode cobrar mensalidade no ensino público. O Alckmin propôs cobrar no mestrado e doutorado e já correu da medida”.

 

Sobre apoiar Alckmin em um eventual 2o turno contra Bolsonaro

“Para o Alckmin subir o Bolsonaro precisa cair. O Alckmin representa a continuidade do projeto Temer. Com certeza no 2o Turno o PT vai estar. Vou votar 13”.

 

Sobre o legado do PT e a atual eleição

“Durante os governos do PT, vivemos o período de maior prosperidade da história do país. Atingimos as menores taxas históricas de desemprego. Tivemos um aumento para o Salário Mínimo 70% acima da inflação. Foi um período muito importante”.

 

Sobre eficiência no setor público

“Existe espaço para aumentar a eficiência no setor público. O bom gestor público sabe disso. Poderíamos, por exemplo, aumentar o número de alunos nas universidades hoje”.

 

Sobre o estímulo aos novos negócios

“Na questão da Internet, trabalharemos no sentido do Luz Para Todos. Vamos levar a Banda Larga para todo o Brasil para as pessoas poderem desenvolver seus empreendimentos”.

 

Sobre o empreendedorismo e os juros bancários

“Vamos induzir os empréstimos com juros menores, estimular isso progressivamente. Vai doer no bolso do banqueiro oferecer empréstimo com juros altos”.

 

Sobre a democratização da mídia

“Em vários estados brasileiros, todos os principais veículos – TV, Rádio, Jornal, Internet – estão na mão de uma mesma família. Não é possível um único grupo, uma única voz, concentrar tudo. Isso não existe em nenhum país, não pode”.

 

Sobre a reforma trabalhista

“Essa reforma trabalhista é um tremendo fiasco. Queremos uma legislação moderna. Essa legislação não é modernizante, ela é completa de retrocessos e de precarização”.

 

Sobre a Lei Rouanet e as políticas culturais

“Sou favorável às leis de fomento, mas acho que, depois de um tempo, você precisa verificar os efeitos de toda da lei, analisar o que você está fazendo com o dinheiro do povo”.

 

Sobre os aprendizados do PT e a reforma política

“Tínhamos capital político para fazer a reforma política e erramos em não tentar fazê-la para valer. No nosso Plano de Governo, trazemos diversas propostas nesse sentido”.

LEIA TAMBÉM